Notícias

Como escolher a cor da isca artificial

Como escolher a cor da isca artificial

Como escolher cor da isca artificial? Este é um assunto fascinante e é até possível dizer que a escolha da cor é uma ciência. Muitos fatores influenciam sua escolha, como transparência da água, luminosidade, profundidade, época e os peixes forrageiros do local, porém, a informação que você deve saber em um primeiro momento é como vai ser o contraste e a silhueta da sua artificial dentro da água. 

Como muitos predadores enxergam cores, assim como nós, uma boa dica é ficar atento se está conseguindo visualizar o trabalho de sua isca. 

Pensando nesse conceito, cores como amarelo, rosa e laranja fosforescentes, verde- limão e branca acabam sendo a primeira opção de muitos pescadores. Esse padrão de cores é interessante para pontos de água limpa ou com poucas partículas suspensas, como é a água da maioria de nossas represas e rios.
 
Para lugares em que a água está mais suja ou barrenta costumam render boas fisgadas as fire tiger, dourado com dorso preto, laranja e vermelha e combinções de cores com grande contraste como prata com dorso preto. Alguns pescadores preferem iscas escuras, o que também funciona muito bem. Uma boa dica é aliar a cor com outros fatores, como vibração, barulho ou até uma artificial maior, ajudando o predador a localizar  sua presa.

Já para lugares de águas cristalinas, o recomendado é utilizar artificiais de cores naturais, uma vez que a visão do peixe está privilegiada. Por isso, o predador fica mais seletivo e desconfiado, arriscando atacar somente o que é parecido com os peixes forrageiros. 

Para fisgar o peixe, posicione o barco mais longe dos pontos de pesca para que ele não te enxergue. Use plugs menores e trabalhe mais rapidamente, para evitar que o peixe desconfie de sua isca. Também é comum nessas situações o peixe buscar lugares mais fundos. 
 
Fique atento à oferta de alimento. Se a quantidade de uma determinada comida for grande, procure usar modelos que simulem a cor do forrageiro. Iscas com transparências são interessantes porque os pequenos peixes, em sua maioria, são transparentes.  

Para aqueles que pretendem praticar a pescaria de fundo, é preciso lembrar que certas cores acabam desaparecendo de acordo com a profundidade. Um dos primeiros espectros de cor a sumir é o vermelho e, o último, o azul.

Para finalizar, preste anteção à luminosidade do dia. Em dias nublados ou horários menos claros, como a manhã, o final de tarde, as cores fosforescentes, metálicas e holográficas se destacam. 

Em dias muito ensolarados, em especial quando se pesca com iscas de superfície, a cor divide sua importância com o tamanho, a forma e a ação. Isso porque um peixe, ao chegar abaixo de uma superfície, quando vê a artificial contra luz normalmente vai ver um vulto descolorido, cinza ou até mesmo preto. Aqui é importante uma cor que destaque a silhueta e a sua sombra. Pinturas de uma única cor, sólida e que reflita pouca luz, são ideiais, como as mais escuras.

Fonte: Pesca e Cia